Meu Perfil
BRASIL, Mulher, de 46 a 55 anos, Japanese, Portuguese, Cinema e vídeo, Música



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 utinaguti
 música e livros
 novelas e filmes
 lugares
 conversas sem compromisso


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 KANJI - ARTES EM MADEIRA
 tudo começou lá


 
YUNTAKU TIAMPURU


ODISSÉIA

 

Fui fazer o visto americano em S.Paulo.

Programei com bastante antecedência, preenchi os papéis online, paguei as taxas, inclusive dos meus pais que tem mais de 66 anos e não precisam comparecer no consulado.

Falei pro maridão, vamos tirar as fotos e pedi as fotos de meus pais.

Minha prima tinha falado, tem que imprimir a ficha de confirmação.

Eu recebi por email a ficha de confirmação e imprimi, falei pro meu marido, imprime o teu.

 

Não sei porque cargas d’água, o questionário que respondemos online e que depois de muitos “no”  ao final vem a mensagem  “print”,  eu imprimi, de todos.

 

Meu marido deixou que eu cuidasse de tudo, também, porque tinha os vistos de meus pais.

Fomos a São Paulo na noite anterior e ficamos num hotel próximo ao consulado. Até pensei em percorrer o trajeto a pé porque é mais perto que o meu percurso ao trabalho.

De manhã cedo, São Paulo acordou com um dia de muita chuva. Eu havia trazido um pequeno guarda-chuva, daqueles que cabem na bolsa.  Olhamos pra aquele aguaceiro, pensamos, melhor ir de táxi até o consulado. O taxista foi dizendo, é a quinta corrida que faço até o consulado. Perguntei – tem muita fila?  - não quero desanimar mas a fila tá grande.  A nossa entrevista estava marcada para as 9h30. Chegamos com uns 40 minutos de antecedência. Estávamos com uma mochila que guardamos num guarda-volumes em frente ao consulado porque lá não podemos entrar com celulares e metais (canivetes e facas)  ao preço de R$ 10/dia. Como a fila estava enorme e estava com um guarda-chuvinha que guarda só garoa e sereno, resolvemos comprar um daqueles grandes (R$ 20) pra agüentar o dia que parecia prometer muito sofrimento.  Mas ainda estávamos animados e conversando com as pessoas próximas da fila, todos de fora de São Paulo, aproveitando um dia entre um domingo e um feriado. Alguns tinham marcado há muito tempo, como eu.

Quem era da entrevista de 9h ia passando pra frente conforme instruções da moças ajudantes.  Num dado momento, já era quase 9h30, uma delas foi conferir os meus papéis, e ela perguntou e as fotos?  Daí percebi que não havia trazido as benditas fotos que tantas vezes falei para o marido ir tirar... Não trouxe. Imagine a cara do meu marido, nessa hora. Mas a moça disse – lá dentro tem gente que tira fotos, não se preocupe – ah que alívio.  Mas, e as fotos de meus pais? Na verdade estão no meu email. É só procurar alguém que imprima fotos da internet. E, como meus pais não precisam comparecer, noutra hora, compareço e entrego os documentos.

Mais, uns dez minutos, outra moça ajudante verificou toda a papelada – Cadê a ficha de confirmação?   - não são estas que eu trouxe?  - não, não são. Esta não vale.  Você tem que ter a ficha de confirmação. Aí na frente do consulado eles imprimem.  Vá correndo que dá tempo. – e a fila?  - começa tudo de novo.

Fomos correndo na loja da frente e a moça que me atendeu já sabia.  Muitos cometem o mesmo erro. Pegou cada um daqueles papéis que eu havia trazido, acessou o site americano, perguntou a senha e foi imprimindo  (R$ 10/cada documento). Também tiramos as nossas fotos e pedi que imprimissem as fotos de meus pais que estavam no meu email (R$ 15/pessoa), total da conta: R$ 100.  Melhor pagar que voltar noutro dia.

 

Voltamos pra fila, informando que o nosso horário limite era 10h40 e falamos novamente com a mesma moça (perdemos quase uma hora). Agora toda a documentação estava correta. Graças a Deus. E, finalmente, entramos no Consulado. Já passavam das 11hs.

Lá fora, você pensa que a entrevista vai ser daqui a pouco. Quando vejo, constato que  deve ter umas 500 pessoas. Não esqueça que continua chovendo torrencialmente. Então, há muitas pessoas no lado coberto mas, também há uma fila de pessoas de guarda chuva. Olhando pra aquilo, penso que é a visão do inferno. Algumas pessoas idosas também. Mas, idoso precisa fazer a entrevista?  Uma delas disse que não tinha quem viesse trazer os documentos e sobrava tempo. Tinha vários idosos. Pensei, ainda bem que meus pais não vieram lá do interior, só pra fazer essa bendita entrevista, porque correm o risco de pegar um resfriado pesado. São várias filas quilométricas, a primeira, a da senha, peguei quando já era meio dia. E, esses funcionários do consulado, provavelmente almoçam. As coisas ficaram muito lentas, para a próxima fila, a da pré-entrevista (checagem inicial da papelada que fica amarrada com elástico) e nova fila, a das impressões digitais, com alguém que fala português americanizado.  Para a última fila, a da entrevista, a moça me perguntou se eu era preferencial. Devia ter dito que era porque naquele horário (de almoço) haviam somente três entrevistadores. A fila fazia voltas e mais voltas e mais voltas, meu marido dizia devia ter mais de 200 pessoas. Faça as contas, se demora 10 minutos/pessoa, por hora cada entrevistador  faz para 6 pessoas e se são três entrevistadores, 18 pessoas. Que horas sairemos dali? 

Ali entendemos porque não podemos entrar com câmeras e celulares. Pra ninguém mostrar as fotos nas redes sociais e nem para o presidente dos EUA. E nem facas e objetos metálicos perigosos porque pode dar vontade de cometer algum crime ali. E temos que ficar ali mansos como cordeiros porque pode ser que isso seja um motivo de sair dali derrotado.

Aos poucos foi aumentando o número de entrevistadores, algumas entrevistas são de família inteira de até cinco pessoas.

Fomos atendidos as 14h10m, entrevista de menos de 5 minutos. O entrevistador (brasileiro) perguntou o motivo da viagem e a nossa profissão. - É só isso? – É. – não tenho que pagar a taxa do sedex pra entregar os passaportes em casa?  - Não. Fim.

Estava muito cansada e não havíamos comido nada desde o café da manhã do hotel (Ibis, muito ruim a R$ 16/pessoa).

Eu havia programado sair cedo do consulado, o dia seria ensolarado, e iríamos almoçar num restaurante oriental na Liberdade. Talvez iria passear por S. Paulo porque as passagens de volta estavam marcadas para as 19hs. O trânsito estaria bom porque é feriadão. 

Quando saímos dali, fomos ao aeroporto. Comemos um lanche. Fomos até a Companhia Aérea que antecipou as passagens. Chegamos em Curitiba, num dia de sol lindo. Geralmente é o contrário. Ainda bem que deixamos o carro num estacionamento do aeroporto. Se tivesse pedido pro filho levar, ele não poderia ir buscar naquela hora.


 

Documentos que o consulado quer:

- passaporte válido

- uma foto 5 x 7 de frente, sem óculos e com as orelhas aparecendo

- a FICHA DE CONFIRMAÇÃO  ( o outro documento que imprimi é parecido)

- comprovante da taxa de visto que paga no CITIBANK, 160 dólares, atualmente.

 

Na fila, tinha gente com foto de óculos, foto meio de lado que eles estavam recusando.

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 10h16
[] [envie esta mensagem] []



MICOS

 

Depois de um longo tempo, quando tive problemas sérios de coluna e não queria nem sentar no computador, estou melhor.

Moderadamente, escrevo.

Numa roda de amigos, de histórias de pagar mico, uma delas contou que há muito tempo, no tempo que andava de ônibus, era jovem, bela e formosa, estava de óculos escuros, achando que estava abafando. Porém, percebeu que as pessoas olhavam e olhavam.  Quando chegou ao trabalho, a colega disse espantada - menina, você andou assim o tempo todo?   Primeiro ela olhou para o zíper da calça, depois respondeu - assim como?   - Veja os óculos escuros!!!    Estava faltando uma das lentes....

Outra história de outra amiga, num happy hour com os amigos, ela que estava de vestidinho meio solto, foi ao banheiro, daqueles tipo bar no centro da cidade, bem apertado, em que mal você consegue se virar no vaso sanitário.  Saindo daquele sufoco, ainda terminando de ajeitar os cabelos porque havia uma fila por lá, nem percebeu que as pessoas olhavam e olhavam.  Estava andando por todo o salão até a mesa dos amigos quando uma das garçonetes falou discretamente -arruma o teu vestido que ta preso na calcinha.  Se ainda estivesse com uma calcinha novinha e pequenininha. Mas,  naquele dia resolveu usar uma daquelas calçonas pra encolher a barriga e tudo o mais. Depois de muito tempo, se ela aparece naquele bar, o garçom pode dizer – é a moça com o vestido preso na calcinha.

 

Ouvindo toda a conversa fiquei pensando em quantos micos eu já paguei nesta minha quilometragem rodada.... é uma lista enorme.

O último que lembro, não é bem um mico mas, é desastroso.  Fui fazer as unhas no shopping,  num local que devia ter mais de 50 pessoas fazendo unhas (exagero!) isto é, você não é ninguém lá dentro e ninguém repara, graças a Deus! Sentei-me e já sabia que ia fazer com uma tal de Paula. Enquanto isso, na TV (sem som mas com legenda) passava um episódio do programa Undercover Boss (Chefe Espião). Quando a manicure começou a fazer as minhas unhas eu continuava assistindo discretamente porém, também conversando com ela, sobre amenidades como por exemplo, a dificuldade de saber como está o tempo lá fora enquanto ela está ali há mais de cinco horas... No final do programa, com lances sentimentais, quando o Chefe Espião tinha se tornado amigo do funcionário (sem o funcionário saber que era o dono) e inconfidências de que estava longe da família e queria muito poder conversar mais com eles, o dono absorveu as informações e tomou medidas para melhorar a vida do amigo funcionário... Como eu choro até em comercial de geladeira, as lágrimas começaram a correr por baixo dos óculos e num dado momento, a Paula (manicure) que todo o tempo estava olhando pras minhas unhas (ainda bem), olhou pro meu rosto pra perguntar alguma coisa. Quando ela viu aquele monte de lágrimas, parou e baixou pra continuar o seu trabalho.  Dali a uns segundos, com a voz bem mais baixa para sinalizar alguma intimidade, perguntou:  você é casada?

Pensei em desfazer todo o mal entendido mas deixa pra lá... eu sou chorona mesmo.

 

 

Programa Undercover Boss

http://gnt.globo.com/ochefeespiao/episodios/_723597.shtml

 

 

 

 



Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 10h14
[] [envie esta mensagem] []



 
 

COPACABANA -2010

Assisti ao filme francês "Copacabana" de 2010.  Não confundir com outro Copacabana de 2001 da Carla Camurati.

Esse filme francês conta a história de Babou, uma francesa pirada de meia idade e que tem uma filha que morre de vergonha dela.

Babou imagina que o Brasil é um paraíso e se interessa por tudo o que se relaciona ao país. 

O relacionamento mãe e filha é igual a muitos que a gente vê por aí. Cheio de altos e baixos.

A falta de dinheiro também influencia.

E, a mãe faz de tudo para se conectar com a filha, mas faz tudo errado. 

Em uma das cenas, mãe e filha marcam de se encontrar num restaurante caríssimo ( a mãe recebeu um dinheiro adiantado)

Porém, a mãe resolve convidar um casal de amigos (que vive na rua) para almoçar junto.

Eu fiquei me perguntando porque a mãe iria chamar outras pessoas num almoço que seria só dela e da filha, ainda mais que o relacionamento estava a perigo.

As alternativas seriam:

a) mostrar que a mãe é uma pessoa legal e paga almoços pra pessoas sem dinheiro

b) a filha é uma chata e por isso a mãe não aguentaria ficar mais de 15 minutos, só as duas

c) a mãe tem medo da filha, por isso precisava de testemunhas

d) a mãe é legal e convive bem com qualquer tipo de pessoa

e) a mãe é uma desmiolada e estabanada mesmo e por isso convida pessoas sem pensar nas consequencias

Eu ainda não cheguei à conclusão. Seria o caso de perguntar ao diretor Marc Fitoussi.

A Babou é interpretada por Isabelle Huppert e a filha Esmê é interpretada por sua filha Lollita Chammah

Vale a pena ver.

É um filme leve.  

Na verdade Babou tem é um bom coração.

Na trilha sonora há muita música brasileira!

.


 



Categoria: novelas e filmes
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 22h13
[] [envie esta mensagem] []



 
 

FELIZ 2012!

 

Parece que foi ontem que houve a virada do milênio. De 1999 para 2000, quando todos os computadores e sistemas poderiam parar.

Iria acabar a energia, seriam muitas as catástrofes eletrônicas.

Dessa virada, já foram 12 anos, começando o 13.  

Estou na fase que, se for pra escrever muita bobagem, melhor não dizer nada.  Só desejar a todos, um feliz ano novo.

Vou publicar fotos que tirei em Brasília e fotos de poças dagua que faço coleção.

 

 

 

 

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h11
[] [envie esta mensagem] []



 
 

FACEBOOK

 

 

Meu pai fez 78 anos.

Antigamente, eu achava que ele não ligava muito pra datas de aniversários.

E, acredito também que não deve se lembrar das datas de todos os nove filhos.

Teve ano, não faz muito tempo, que me telefonou no meu aniversário, conversamos e conversamos e ele não se lembrou de comentar sobre o fato.

Ultimamente, tenho procurado telefonar a ele porque percebi que gosta que lembrem.

Neste último, ele não estava em casa.

Estava na casa de sua irmã que acabara de perder o marido. 

O seu aniversário tinha ficado em segundo plano.

Setenta e oito anos que se foram.  Neste último ano, perdeu muitas pessoas queridas.

Ele deve ter pensado, quantos aniversários me restam?

Ainda assim, faz um esforço enorme para se modernizar.

Encomendou um Ipad que ele chama de “tabureto” na qual incluímos livros digitalizados em japonês. Cerca de 700. Muitos clássicos da literatura mundial.

Agora ele leva o Ipad para ler no sítio, enquanto acompanha os serviços na lavoura de café.

Meu sobrinho que tinha ido a Okinawa, postou centenas de fotos no Facebook, da terrinha natal de meu pai.

A vontade de ver as fotos foi a isca para incluir o seu perfil lá também, chegando a adicionar muitos parentes, amigos e conhecidos. São muito poucos, da idade dele.

Hoje ao entrar no Facebook, em seu perfil, que surpresa eu tive!

Muitas felicitações pelo aniversário, que recebeu dos amigos adicionados.

Vi também que ele já entrou lá, agradeceu  e clicou em “curtir” em todos.

Eu acho que ele adorou.

Esses pequenos gestos são como uma lufada de vento que tem o poder de diminuir a tristeza, depois das muitas perdas.

 

link para o endereço do Aozora Bunka que tem muitos livros digitalizados em japonês:  http://www.aozora.gr.jp/

meu pai no Facebook: http://pt-br.facebook.com/people/Shinichi-Kuniyoshi/1805119320

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 20h04
[] [envie esta mensagem] []



 
 

KIDOAIRAKU - 喜怒哀楽

 

 

Há um restaurante japonês em São Paulo de que jornais e muitos blogues já escreveram.

É o Kidoairaku (喜怒哀楽).

Fica no bairro da Liberdade, na esquina da Rua São Joaquim com a Galvão Bueno, em frente ao Bunkyo.

É exatamente como os apreciadores descrevem:

>> muito simples, exatamente o oposto do restaurante Kan daqui de Curitiba. O Kan tem um  ambiente muito sofisticado, decorado por arquitetos modernos.  O nosso restaurante é muito pequeno, sendo que no ambiente da entrada, tem um balcão apropriado pra pessoas que vão sozinhas e no ambiente de cima, umas seis mesas bem apertadinhas.

>> a senhora idosa que fica sentada bem na entrada, estava lá, vendo um programa do NHK

>> há revistas japonesas tipo Gendai, Bungeishunju e muitos mangas

>> meu marido e meu genro pediram tonkatsu teishoku, a receita mais famosa. Provei um pedacinho e realmente é muito saboroso. Eu e minha filha pedimos sakana teishoku.  Quatro teishokus foi muita coisa, podíamos ter pedido menos.

>> cada teishoku vinha com muitas tigelinhas de cores e modelos variados mas, padronizando cada ingrediente no mesmo tipo de tigelinha.

>> havia mais uma tigela (com tampa)  de arroz que nem tocamos.

>> a sobremesa de gelatina de café coberta com leite condensado também estava lá. Uma delícia.

>> o sabor de cada alimento estava no ponto. Nem mais e nem menos de sal, bem delicado e bem ao gosto dos japoneses.

 

Eu diria que provamos algo maravilhoso que formou-se em nossas mentes, graças às informações dos blogueiros.

 

Links de alguns sites que já falaram sobre esse restaurante:

http://yuminamesa.blogspot.com/2009/07/kidoairaku.html

http://tabeteimasu.blogspot.com/2010/03/kidoairaku.html

http://chacomarroz.blogspot.com/2011/07/restaurante-kidoairaku.html

http://marisaono.com/delicia/?p=2669

http://bitchori.wordpress.com/2010/01/04/kidoairaku/

http://www.adegadesake.com/lista-do-adegao/kidoairaku.html

 

 



Categoria: lugares
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 20h12
[] [envie esta mensagem] []



 
 

SOMOS 7 BILHÕES DE PESSOAS

 

De vez em quando acesso o site da boston bigpicture pra ver se há alguma foto interessante.    

Lá diz que agora somos 7 bilhões no planeta.

Por aqui não deu pra perceber ainda,  mas, é só ver as fotos abaixo,  pra sentir o drama que é ter muita gente em todo lugar.

 

 

 

 

 

Também tem a história do indiano Ziona de 67 anos (na foto abaixo deve estar pensando – o que foi que fiz de errado?).

Ele tem 39 esposas e 94 filhos.

A família de 181 membros vive toda junta numa casa de 4 andares.

 

busquei no link http://www.boston.com/bigpicture/2011/11/world_population_where_its_thi.html

 

 



Categoria: lugares
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 17h51
[] [envie esta mensagem] []



 
 

BEGIN

 

A banda okinawana "BEGIN" estará no Brasil em 12/11 (próximo).  Toda a comunidade está na expectativa.

Enquanto isso,  vamos ouvindo "Sanshin no Hana"   

 

 

busquei no endereço    http://www.beginbrasil.com.br/informacoes-do-show-do-begin-no-brasil.php

INFORMAÇÕES SOBRE O SHOW

ENTRADA FRANCA ( é indispensável a apresentação dos ingressos ).

Censura 10 anos.

Data do show: 
12/11/2011

Horário: 
15:00hs 

Abertura dos portões: 13:00hs

As entradas para o show do Begin poderão ser adquiridas em pequenos pontos de distribuição, a partir do dia 01 de novembro, e serão limitados a dois ingressos por pessoa.

Contribuição: pedimos ao público que, no dia do evento, leve 01 lata de leite em pó, a ser destinada, posteriormente, aos projetos assistenciais da Prefeitura de São Paulo

Pontos de distribuição:

Kohii Café - Rua da Glória, 326 - Liberdade

Associação Okinawa Kenjin do Brasil - Rua Dr. Tomás de Lima, 72 - Liberdade

Urizun Produtos Orientais - Av. Conselheiro Carrão, 2673 - Vila Carrão

Enmam Produtos Orientais - Av. Jabaquara, 1588, Jabaquara (ao lado do metrô Saúde)

Estacionamento no local do evento:

Automóveis/Vans : R$25,00 

Motos : R$15,00 

Ônibus/Micro-ônibus: R$50,00

 

O LOCAL

O endereço do show do begin será na:

Av. Olavo Fontoura, 1209 - Pavilhão de Exposições - Anhembi

Santana São Paulo, 02012-021

 


A BANDA BEGIN


Amigos desde a infância, Eisho Higa (vocal), Masaru Shimabukuro (guitarra) e Hitoshi Uechi (Piano) conviveram até a faculdade, mas após a formatura todos decidiram seguir seus próprios caminhos profissionais. Certo dia, Eisho reuniu todos os membros novamente e começaram a se concentrar na música.

Em 5 de dezembro de 1988, eles cantaram no casamento de um amigo, apresentando-se como "Begin" pela primeira vez. Logo começaram a se tornar famosos, promovendo shows por todo o Japão, e amealhando fãs nas mais diversas províncias O sucesso levou o grupo a participar de programas televisivos e filmes, levando a cultura e a festividade de Okinawa para todo o arquipélago.

Hoje, o Begin possui uma carreira consolidada, com mais de 10 álbuns, 8 DVDs e canções de sucesso. Dentre elas, destacam-se "Nada Sou Sou", “Sanshin no Hana” e “Shimanchu no Takara”.

Fora do Japão, tocaram uma única vez no Havaí, região que concentra uma grande quantidade de descendentes de Okinawa. No Brasil, país com o maior número de japoneses fora do Japão, apresentam-se pela primeira vez.

 

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 06h56
[] [envie esta mensagem] []



 
 

LAOWAI de SONIA BRIDI

 

Estou lendo Laowai (estrangeiro em chinês/mandarim)  de Sonia Bridi, jornalista da Globo.

Num dos trechos ela transcreve questões de um teste com 100 perguntas para conseguir a carteira de habilitação na China.

 

Questão sobre civilidade:

O que o motorista deve fazer se tiver necessidade de cuspir enquanto dirige?

a)  cuspir pela janela

b) cuspir  num pedaço de papel  e depois jogar no lixo

c) cuspir no chão do carro

Não há alternativa "não cuspir"

 

Questão sobre primeiros socorros

Diante de uma ferida abdominal aberta, com os intestinos para fora da cavidade abdominal, devemos:

a) colocar os intestinos de volta

b) não há tratamento

c) não colocar de volta, mas cobrir com uma tigelinha  ou um prato fundo e fixar o prato à barriga com uma tira de pano ou cinto

Não há opção  "chamar o SIATE"  

 

>> as respostas corretas são as mais longas.

>> SIATE(Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergências), telefone 193,  é só no Paraná?

>> o blog  Lu na China,  criticou muito esse livro, dizendo que está muito mal escrito, feito às pressas (antes das Olimpíadas de Pequim). Eu estou rindo muito. 

link para o blog Lu na China: http://lunachina.blog.uol.com.br/arch2008-10-16_2008-10-31.html

 

 

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 06h40
[] [envie esta mensagem] []



 
 

CURSO RÁPIDO DE ECONOMIA

Recebi por email, o texto abaixo.  Muito bom, queria saber quem é o(a) autor(a).

 
UM VIAJANTE CHEGA NUMA CIDADE E ENTRA NUM PEQUENO HOTEL. 
NA RECEPÇÃO, ENTREGA DUAS NOTAS DE R$ 100,00 E PEDE PARA VER O QUARTO. 
ENQUANTO O VIAJANTE INSPECIONA OS QUARTOS, O GERENTE DO HOTEL SAI CORRENDO COM AS DUAS NOTAS DE R$ 100,00 E VAI ATÉ O AÇOUGUE PAGAR SUAS DÍVIDAS COM O AÇOUGUEIRO. 
ESSE PEGA AS DUAS NOTAS E VAI ATÉ UM CRIADOR DE SUÍNOS A QUEM, COINCIDENTEMENTE, TAMBÉM DEVE R$ 200,00 E QUITA A DÍVIDA. 
O CRIADOR, POR SUA VEZ, PEGA AS DUAS NOTAS E CORRE AO VETERINÁRIO PARA LIQUIDAR UMA DÍVIDA DE... R$ 200,00. 
O VETERINáRIO, COM A DUAS NOTAS EM MÃOS, VAI ATÉ A ZONA QUITAR A DÍVIDA COM UMA MESSALINA. COINCIDENTEMENTE, A DÍVIDA ERA DE R$ 200,00. 
A MESSALINA SAI COM O DINHEIRO, EM DIREÇÃO AO HOTEL, LUGAR ONDE, ÀS VEZES, LEVA SEUS CLIENTES E QUE ULTIMAMENTE, NÃO HAVIA PAGO. VALOR TOTAL DA DÍVIDA: R$ 200,00. 
ELA AVISA AO GERENTE QUE ESTÁ PAGANDO A CONTA E COLOCA AS NOTAS EM CIMA DO BALCÃO.
NESSE MOMENTO, O VIAJANTE RETORNA DOS QUARTOS, DIZ NÃO SER O QUE ESPERAVA, PEGA AS DUAS NOTAS DE VOLTA, AGRADECE E SAI DO HOTEL.
NINGUÉM GANHOU OU GASTOU NENHUM CENTAVO, PORÉM AGORA TODA A CIDADE VIVE SEM DÍVIDAS, COM O CRÉDITO RESTAURADO E COMEÇA A VER O FUTURO COM CONFIANÇA!

MORAL DA HISTÓRIA: NÃO QUEIRA ENTENDER DE ECONOMIA!


Dizem que Colombo foi o primeiro economista: 
- Quando saiu, não sabia para onde ia. 
- Quando chegou, não sabia onde estava.
E tudo por conta do Estado...
 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 06h26
[] [envie esta mensagem] []



 
 

NOVELAS COREANAS

 

Para quem ama novelas coreanas:

Está disponível no Brasil, o site de novelas online com o drama coreano  WINTER SONATA  ou SONATA DE INVERNO tendo como protagonistas os famosíssimos  Choi Ji Woo e Bae Yong Joon.

Esta dorama é uma das que fizeram muito sucesso no Japão.

Pergunte a uma doramófila se conhece Fuyuno Sonata.

Um dos episódios mais românticos é o 13, quando o mocinho vai ver uma amiga dona da loja de vestidos de noiva e lá encontra quem? a mocinha que está experimentando um vestido de noiva porque vai casar (com um outro cara muito chato, aliás).

Muita coincidência.


 

Veja todos os 20 episódios da novela nesse site, com legendas em português.  

Se não quer ser pego(a) pelo bichinho da novela coreana, não veja.

http://kdrama.com.br/site2/novelas/index2.php?cat_id=&cat_menu=168

 

 



Categoria: novelas e filmes
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 08h15
[] [envie esta mensagem] []



 
 

Somos todos acomodados?

Como sempre faço, ontem fui cruzar (de carro) uma rua de mão única, pertinho de casa.  Como é de mão única, o normal  seria olhar para o sentido de onde vem os veículos. E quase bati num que vinha pela contra-mão. Foi por muito pouco.  Levei um susto.  E nem buzinei, não xinguei e não fiz nada. Que nem uma pateta.

 

Depois, fui pela Av Iguaçu que no meio do dia também sempre está muito tenso e num daqueles cruzamentos, onde há quadrados com mensagens para que o condutor não paralise por ali quando fechar o sinal,  alguém parou.  Como estava indo pela Iguaçu, parei em frente a esse veículo até esperar que fosse embora e deixasse eu passar.  Na minha imaginação, eu queria descer do carro, chegar até o(a) motorista desse veículo e gritar pra essa pessoa tudo que vai ficando entalado quando andamos nesse trânsito louco.  Mas, calmamente fui pra casa. 

 

Leio o noticiário  (nesta semana o assunto principal é Steve Jobs) que a cada semana tem uma infinidade de histórias sobre desmandos e corrupção de políticos em diversos escalões, a atuação parcial de juízes e crimes e mais crimes sem punição que nos deixam terrivelmente indignados.

 

Hoje sinto uma dor terrível nas costas e pensei será que isto é o resultado de toda essa passividade que vai se acumulando?

 

Estou fazendo alongamentos e exercícios mas a minha mente vai produzindo outras soluções que alcancem alguma satisfação. Por exemplo, procurar fazer a minha parte bem (isso geralmente soa muito chato para os outros).

 

Mas parece muito pouco porque ainda penso na história de uma moça que está presa por causa do tráfico de drogas, tem filhos e disse: só sei fazer isso, faria tudo de novo.  Então, se ela sair da prisão, vai mesmo voltar para o mesmo trabalho. Não há menor sinal de arrependimento.

A pergunta que faço: Como a sociedade deveria atuar com essa pessoa? Como deixaremos de ser acomodados com ela?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 07h31
[] [envie esta mensagem] []



 
 

Sungha Jung

 

Acabei de ver um vídeo de Sungha Jung tocando no violão, My Heart Will Go On (Tema do Titanic). Liiindo!

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h45
[] [envie esta mensagem] []



 
 

VIDEOS QUE ESTOU CURTINDO

 

Este blog é um livro de registros de mim.  

Começou em fevereiro/2007 em  http://nozomi.zip.net/

e continua por aqui.   Muita água rolou desde lá.  Naquele tempo meu marido trabalhava longe e

pedia que escrevesse os meus pensamentos num blog.   Agora ele viaja só eventualmente.  

Aqui estou anonimamente mas algumas pessoas sabem quem sou. Aliás, não sei quem sabe.

Vejo que algumas pessoas acessam porque o contador vai mudando.

Assim como no facebook, aqui também, a gente tem que cuidar o que escreve. 

No facebook, há amigos, colegas de trabalho, parentes, inclusive ligadas após casamentos...

Por exemplo, às vezes, as pessoas falam mal de sogra, nora, cunhado, por falar, para temperar o bate-papo e fala mais do que pode ou deve....

E no facebook?  Eu ficaria muito chateada se alguém falasse por exemplo de minha filha ou de meu filho... 

Então, por comparação, não posso falar de sogra também...

Melhor falar de música...  de vídeos no youtube .... de menino que toca bem um violão...

Ele se chama  Sungha Jung.  Ele toca muitas e muitas músicas que dá  para passar um bom  tempo apreciando... 

O vídeo abaixo, trilha sonora do filme Piratas do Caribe, teve mais de 20 milhões de acessos...

Legal seria escolher qual a música preferida.   Aliás, difícil escolher porque hoje vi, California Dream (The Mama and Papas)

Hotel California (Eagles) e  Billy Jean e Beat It (Michael Jackson) e achei maravilhosas...

 

 

Também há um site com todos os seus vídeos  http://www.sunghajung.com/playing_video

Ele é supertalentoso!

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h21
[] [envie esta mensagem] []



 
 

vídeo com superposição de imagens

Peguei o vídeo no blog da Rosana Hermann - Querido Leitor



Categoria: lugares
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h42
[] [envie esta mensagem] []



VER UMA PINTURA AO VIVO

 

OU VER AQUI:

Este é o belíssimo quadro no The Metropolitan Museum of Art,  Os ceifeiros, de Pieter Brueghel, o Velho.


Dá pra ver os detalhes de camponeses comendo ou descansando...

 

Até os detalhes da foice de um trabalhando...

 

E o boi se esforçando?  e a árvore com frutinhas no pé?

 

E essas pessoas? brincando de betes? 

 

E a sombra do homem descendo a ladeira?

 

E as nádegas de alguém nadando?    Só mesmo no Google Art Project...

veja a sala onde está o quadro:   http://www.googleartproject.com/museums/met

veja o quadro em detalhes:  http://www.googleartproject.com/museums/met/the-harvesters



Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h31
[] [envie esta mensagem] []



 
 

PROVÉRBIOS DE OKINAWA

Nos espaços abaixo, você verá muitos provérbios de Okinawa.  Fazem ou faziam parte do cotidiano das pessoas, em conversas sem compromisso, citar um ou outro provérbio.

Essas frases traduzem a cultura de um povo. A característica principal é a simplicidade.

 



Categoria: utinaguti
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h39
[] [envie esta mensagem] []



 
 

MAIS PROVÉRBIOS OKINAWANOS

 

Alguns dos provérbios que estão divulgados no site: http://www.okinawan-shorinryu.com/okinawa/uchina.html

Traduzido pelos meus pais para o português. A tradução não é literal, é como eles entendem a mensagem.

 

 

Ataishituru atairu

あたいしとうる あたいる

We get along well with those we can get along with well.

Nos damos bem com aqueles com quem somos compatíveis.

Kaaguee kaa ru ya ru

かーげ かーる やる

Beauty is skin deep.

A beleza é superficial.

Jin tuu waraaran kwa turu waraariiru

じんとう わらーらん くあとうる わらーりる

We can laugh happily with our children, but not with money.

O calor da companhia dos filhos faz rir, o dinheiro não.

Duu nu duu ya duu shiru shiyuru

どうぬ どうや どう しる しゆる

You know your body best.

Você é quem mais conhece o próprio corpo.

Miinai tchitchi nai

みーない ちちない

We learn by watching and listening.

Olhando e ouvindo para aprender.

Tchyu  kaniru deeitchi

ちゅうかにる でーいち

Common sense is essential.

A prioridade é o ser humano.

Uya yushi kwa yushi

うやゆし くあ ゆし

Parents and children teach one another.

Pais e filhos ensinam uns aos outros.

Yuu ya shiteitein mii ya shiteinna

ゆーや していていん みーや していんな

Even if you hide yourself from the world, don't lose sight of your real nature.

Se não cuida do corpo, pelo menos cuide da alma.

 

 



Categoria: utinaguti
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h35
[] [envie esta mensagem] []



 
 

PROVÉRBIOS OKINAWANOS

 

Mais alguns com a tradução "não literal".

 

    Atchineeya tankaa mankaa

あちねえや たんかー まんかー

Business is a two-way street.

Em assunto de negócio, os dois lados devem ganhar.

Aramun jooguu ya duu ganjuu

あらむん じょーぐうや ど がんじゅう

One who eats plain food is healthy.

Comer comida sem refinamento deixa o corpo mais saudável.

Atyánu neen tchi ami?

あちゃぬ ねーんち あみ?

Tomorrow is a new day

Acha que amanhã não virá?

Kuu sa kana sa

くーさ かなさー

Small things are lovable.

Os pequeninos são cativantes.

Kutchi ganga naa ya yakutatan

くち がんがなーや やくたたん

A smooth talker is a good-for-nothing person.

Quem fala muito, não faz.

Kutubaa. Jin tchikee

くとばー. じん ちけー

Spend words as efficiently as money.

Fale só o necessário, como se custasse dinheiro.

Kutuba nuu ushikumaran

くとばー ぬー うしくまらん

A word can't be recalled once spoken.

A palavra,  uma vez dita, não pode mais ser negada

Munoo yuu iyuru mun

むのーゆーいゆるむん

Speak well of others.

Fale bem dos outros.

Matchushi garu ufu iyoo tuyuru

まっちゅしがる うふ いよーとゆる

One who waits patiently will catch a big fish.

Quem tem paciência de esperar pegará um peixe grande.

Nmarijima nu kutuba wasshii nee kuni n wasshiin

うんまりじまぬ くとば わしーねー くにん わしーん

Forgetting your native tongue means forgetting your native country.

Esquecer a sua língua nativa significa esquecer a sua origem.

Tchira kaagui yaka tchimu gukuru

ちらかーぎやか ちむぐくる

Kind hearts are better than fair faces.

É melhor coração sensível que rosto bonito.

Tchyu uyamêeru duu uyamêe

ちゅう うやめーる ど うやめー

If you respect others, they will respect you.

Se respeita os outros, será respeitado.

Tchyu kukuru ru dee itchi

ちゅう くくるる でーいち

The heart is the most essential human quality.

A sensibilidade é a qualidade essencial do ser humano.

Tusui ya tatashina mun. Warabee shikashina mun

すいやたたしなむん わらべーしかしなむん

The old should be Treated with due respect. Children should be treated with gentleness.

Tratar os idosos com respeito.  As crianças, com gentileza.

Tusui ya takara

すいや たから

The old people are treasures to us.

Idosos são tesouros.

Yaa saru maa saru

やーさる まーさる

Food is delicious when one is hungry.

Com fome, a comida é deliciosa.

Yii kutoo issugi

いーくと いすぎー

Do good things quickly.

Coisas boas,  divulgar rapidamente.


 

 



Categoria: utinaguti
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h27
[] [envie esta mensagem] []



 
 

PROVÉRBIOS OKINAWANOS

 

 

Para estes, ainda não peguei a tradução para o português. Se você souber, pode colaborar:

Ashibi nu tchura saa ninju nu sunawai

あしびぬ ちゅらさー にんじゅうぬ すなわい

The more the merrier.

Ikiganu kutubaa shuumun gaai

いきがぬ くとば しゅうむんがーい

A man's word is his honor.

Itchimushiya kurutchin kamarii-shiga tchyu-ya kurutchi-ya kamaran

いちむしや くるちん かまりいしが ちゅうや くるちいや かまらん

Kill an animal, and at least you can eat it; you can't eat people even if you kill them."

Itchariba tchôodêe

いちゃりば ちょーでえ

Once we meet and talk, we are brothers and sisters.

Kamuru uh saa mii nayun

かむる うっさー みー なゆん

The more you eat, the more you gain

Mii ya tein niru aru

みーやてんにるある

Our fates are as registered by heaven.

Miitundaa duu deitchi

みとんだーどでーいち

Man and wife are one flesh.

Mookiraa kwee mitchi shiri

もーきらーくみち しり

Once you have made a fortune, know how to spend it.

Nutchi nu sadamee wakaran

ぬちぬ さだめーわからん

Only God knows one's term of life.

Shikinoo tchyui shiihii shiru kura suru

しきのーちゅい しーひーしるくらする

Let's live helping each other in this world.

Shinjiti nu ada nayumi

しんじてぬ あだなゆみ

Kindness will never be wasted in any way.


 

 



Categoria: utinaguti
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h19
[] [envie esta mensagem] []



 
 

Conversa virtual

 

 

Muita gente já conversou no skype com câmera com uma pessoa querida que está longe. 

Isso, hoje em dia, não é novidade.

Nem teria o que comentar.

Diferente é conversar no skype e fazer outra coisa ao mesmo tempo.

Foi o que aconteceu outro dia. 

Ainda na mesa, depois do almoço em casa junto com uma sobrinha, resolvi ligar para a minha filha casada que mora longe, pelo skype com câmera.

Ela e o marido já tinham terminado o almoço fazia algum tempo.

Estavam começando a tomar um chimarrão.

Nós víamos ela sorvendo uns goles enquanto conversava conosco.

Isso animou o meu filho a também preparar uma cuia.

E começou uma roda de chimarrão quase “virtual”.

Naquele momento, conversando e rindo distraidamente,  eu me transportei para um outro plano (ou dimensão)  e tive um nítido sentimento de que eles estavam realmente conosco, naquele mesmo ambiente, compartilhando a mesma cuia.

Foi beeeem legal!

 

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 19h17
[] [envie esta mensagem] []



 
 

INSPIRAÇÃO

 

 

O texto abaixo serve de inspiração para nós brasileiros, que estamos nessa letargia... que vemos tudo o que ocorre à nossa volta...

onda de violência, impunidade, corrupção à solta, abuso de poder, injustiças...

Não há um(a)  líder (sem telhado de vidro)  que tenha voz na mídia, que seja ouvido(a),  para dizer       - basta!  

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h22
[] [envie esta mensagem] []



 
 

ÓPERA DE VERDI X BERLUSCONI

 

Recebi o seguinte texto por email:

VIVA A ITÁLIA!   O DIA EM QUE VERDI DERROTOU BERLUSCONI

No último 12 de março, Silvio Berlusconi teve que enfrentar a realidade.

A Itália festejava o 150o aniversário de sua unificação e, entre as muitas comemorações da importante data, uma se deu na Ópera de Roma, com a apresentação da obra "Nabucco", de Giuseppi Verdi, dirigida pelo maestro Ricardo Muti.
Antes da apresentação, Gianni Alemanno, prefeito de Roma, subiu ao palco para pronunciar um discurso denunciando cortes no orçamento federal dirigido  à cultura, feitos pelo governo, do qual o próprio Alemanno é membro e velho amigo de Berlusconi.

Esta intervenção política em um momento cultural dos mais simbólicos para a Itália produziria um efeito inesperado, ao qual Berlusconi, em pessoa, foi obrigado a assistir.
Segundo relatado por Ricardo Muti, "...

A princípio houve uma grande salva de palmas pelo público.

Logo começamos com a ópera.

Tudo correu muito bem até que chegamos ao famoso canto Va Pensiero.

Imediatamente senti que a atmosfera entre o público ia se tornando mais e mais tensa.

Existem coisas que não se consegue descrever, mas as sentimos.

Era o silêncio profundo que se fazia sentir!

Mas, no momento em que o público percebeu que começavam os primeiros acordes de Va Pensiero, o silêncio se transformou em verdadeiro fervor.

Podia-se sentir a reação visceral dos presentes ante ao lamento dos escravos que cantam Ó pátria minha, tão bela e perdida...

Assim que o coro chegou ao fim, pudemos ouvir vários pedidos de bis.

Começaram os gritos de Viva Italia e Viva Verdi.

As pessoas nas galerias jogavam pequenos papéis escritos com mensagens patrióticas".
Apenas uma única vez Muti havia aceitado fazer um bis de Va Pensiero, em uma apresentação no La Scala de Milão em 1986, já a peça exige que seja executada do princípio ao fim, sem interrupções. "Eu não pensava em fazer apenas um bis", disse o maestro, "teria que haver uma intenção especial para fazê-lo", contou.

Então, em um gesto teatral, Muti se voltou ao público - e a Berlusconi - e disse: "Logo que cessaram os gritos de bis, vocês começaram a gritar Longa Vida à Itália.

Sim, estou de acordo com isto: Larga vida à Itália.

Mas... Já não tenho trinta anos e vivi minha vida.

Rodei o mundo e, hoje, tenho vergonha do que acontece em meu país.

Por isso, vou aceitar seus pedidos para apresentarVa Pensiero novamente.  

Não só pela alegria patriótica que sinto neste momento mas, sim, porque enquanto dirigia o coro que cantou Ai meu país belo e perdido pensei que, se continuarmos assim, vamos matar a cultura sobre a qual erguemos a história da Itália.

E, nesse caso, nossa pátria também estaria bela e perdida.

Durante anos mantive minha boca fechada mas agora, creio que precisaríamos dar sentido a este canto: estamos na nossa casa, o Teatro de Roma, com o coro que cantou magnificamente bem e com a orquestra que o acompanhou esplendidamente.

Se quiserem, proponho a vocês que se unam a nós para que cantemos todos juntos".
Assim, o maestro convidou o público a cantar junto com o coro dos escravos.

Muti continua sua narrativa: "Vi grupos de gente levantar-se.

Toda a Ópera de Roma se levantou.

E o coro também.

Foi um momento mágico!

Essa noite não foi apenas mais uma representação de Nabucco mas, também, uma declaração no Teatro da capital italiana para chamar a atenção dos políticos".
 

o texto completo está aqui:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-arte-encara-berlusconi

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h13
[] [envie esta mensagem] []



 
 

FILMES NO YOUTUBE

 

 

Não tem filme pra ver?

 

Pode ver no youtube.  Há vários...

Esse abaixo, tem paisagens do Rio, tem a celebridade do momento com passagem rápida, a Débora Secco....

 

 

 



Categoria: novelas e filmes
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 19h14
[] [envie esta mensagem] []



 
 

CAFEZINHO FAZ BEM!

 

 

E viva o cafezinho!    Está na revista Veja desta semana.

Café é uma bebida que protege, reduzindo riscos de desenvolver diabetes do tipo 2, Alzheimer, Parkinson e tumores malignos. 

Estudos mostram que o consumo regular de  café pode trazer benefícios à saúde.

A bebida contém antioxidantes que preservam os vasos sanguíneos.

Fizeram um estudo de hábitos alimentares de mais de 400 mil europeus que revelou que aqueles que bebiam pelo menos 100 mililitros de café ou chá diariamente apresentavam um risco 34% menor de desenvolver um tumor maligno no cérebro do que aqueles que não consumiam.

Quanto à história de que a cafeína provocaria osteoporose, o que se sabe é que duas xícaras de café impedem a absorção, em média, de 2 miligramas de cálcio,  muito pouco se você tomar um copo de leite desnatado que possui cerca de 300 miligramas do mineral.

Vou continuar tomando o meu cafezinho, sem açúcar.

O açucar ou o adoçante mascaram o seu sabor.

 

Ganhei um presentinho adorável. 

O café Kopi Luwak, da Indonésia, aquele que é tirado do excremento do luwak, uma espécie de gambá que vive nas matas de lá.

Na língua deles, kopi quer dizer café.

Fiquei sabendo também que há dois tipos de café, um especialíssimo que custa um absurdo por apenas 100 gramas.

Os grãos desse café são colhidos na floresta, onde os luwakis vivem soltos e escolhem comer somente os melhores grãos.

O segundo tipo (mais barato mas, não tão barato)  é de criação de luwakis (nas fazendas) que comem os grãos que são oferecidos. Dizem que os bichos ficam presos nos pés de café.

 

Conta a lenda que tudo começou quando um indonésio muito pobre ofereceu uma xícara do seu café ao grande fazendeiro e este observou – como é possível que o seu café seja mais gostoso que o que tomo na minha casa? 

O pobre coitado, com vergonha, confessou que aqueles que não tinham condições de comprar café,  íam à floresta e catavam os grãozinhos no meio do cocô dos luwakis. 

E assim começou a se propagar pelo mundo essa bebida tirada da merda... ha ha ha...

 

 

 

E esse café?   Eu adoro café mas não sou estudiosa ou especialista.

Então não vou enganar ninguém  pra dizer que tem sabor achocolatado ou aveludado ou que é o melhor café que já provei na minha vida... blá blá blá

Tomei sem açúcar.   É gostoso.

 

 

 

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 22h40
[] [envie esta mensagem] []



 
 

FUTURO

É difícil imaginar como será no futuro o relacionamento entre as pessoas.

No passado, a comunicação era muito escassa e atualmente com a abundância de blogues,  Orkut, Twitter, Facebook, Linkedln ... etc.,  

cada vez mais sabemos quase "um tudo" de cada um. 

E tem o wikipedia. Tudo isso somado ao Google.

Vai chegar um tempo em que estaremos fartos de saber tanta coisa (desnecessária)?

Pra que saber que a Luana Piovani solta o verbo no twitter,

que os caras do Pânico foram ao enterro da Amy Winehouse fingindo que eram amigos,

ou que a Jenifer Lopez está saindo com Rodrigo Santoro,

ou ver as fotos da amiga festejando  nos Alpes Suíços e que não é tão íntima

a ponto de ficar à vontade para fazer algum comentário?

E as regras para sermos educados nessa rede de sociabilidade?

Não consigo imaginar esse mundo daqui a 5 anos. 

Porque cinco anos atrás, tinha tudo muito menos  (não tinha twitter e nem FB, eu acho).

 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h59
[] [envie esta mensagem] []



 
 

MINHAS AULAS DE DANÇA

 

Já faz algum tempo, estou fazendo as aulas de dança de Okinawa.

Essa dança chama-se Kaguiyadefú.

Eu aprecio de verdade, cada trecho da música, girar o leque, virar o pé, virar o corpo, bater o pé, segurar a manga do kimono,  cada detalhe é único.

Se um dia souber dançar bem e me juntar com alguém que mora em Okinawa para dançar essa peça, faremos  iguaizinhos, em todas as minúcias.

Esse dia seria a minha realização.  Na verdade nem precisa acontecer, só as aulas já me fazem um bem danado.

Veja a dança Kagguiyadefú como é:


 

 

Por outro lado, também estou fazendo aulas de disco dance.

Lembra do John Travolta, Bee Gees, Gloria Gaynor e Village People?

É completamente diferente das aulas orientais.   

Sempre saio da aula, muito suada e querendo mais um pouco.

Dica para as mulheres:  Se você queria dançar pra se movimentar e tem marido que  não quer fazer dança de salão, vá sozinha e faça “disco dance”.  

Na minha turma, 99%  é de mulheres, muitas beirando os 50.

O vídeo abaixo  é de uma turma de disco se apresentando, de algumas das músicas que também estamos aprendendo.

Não tenho intenção alguma de me apresentar.

Aliás, é bom que tenha muitos alunos na aula porque daí só vejo a "profe" dançando no espelho. 

Quando me vejo,  levo um susto.  

Perdi toda a mobilidade que tinha aos 20 anos.

É terrível.

Se soubesse a coreografia, dançava de olhos fechados.

Mas tenho que aprender com a  "profe"  e curtir muito. 

 

As danças okinawanas pacificam o espírito e as de disco, o corpo. 

Não há comparação, as duas são completamente distintas,

no entanto, convivem em harmonia.


 



Categoria: conversas sem compromisso
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 20h51
[] [envie esta mensagem] []



 
 

STAND BY ME

 

A música "Stand By Me"  inspirou que muitas pessoas a cantassem em diversas partes do mundo sugerindo que somos parte de um todo e estamos todos conectados.  

Se estamos todos conectados,  somos como irmãos, então não devo fazer mal a você e nem você a mim.

Há uma frase okinawana "Itchariba, tchoodê",  que diz:  se já nos encontramos e conversamos, somos irmãos;   que também tem o mesmo significado.

 

 

A comunidade okinawana irá tocar tambores (taiko - たいこ) em diversas partes do mundo onde há okinawanos  no próximo dia 07/08/2011 (domingo) às 6h da manhã no Brasil ou 6h da tarde no Japão. 

A mesma música e coreografia ao mesmo tempo porque estamos realmente todos conectados.

 

 



Categoria: música e livros
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h28
[] [envie esta mensagem] []



 
 

música Sanshin no Hana

 

Minha amiga que não é okinawana nem japa ouviu essa música e achou linda. 

 

 

 

 

三線の花 (べぎん)

 

いつしか忘れられた オジーの形見の三線
床の間で誕生祝いの 島酒にもたれて

ほこりを指でなでて ゆるんだ糸を巻けば
退屈でたまらなかった 島唄が響いた

鮮やかによみがえる あなたと過ごした日々は
やわらかな愛しさで この胸を突き破り
咲いたのは 三線の花

テレビの斜め向かいの あなたが居た場所に
座ればアルミの窓から 夕月が昇る

家族を眺めながら 飲む酒はどんな味
眠りにつく前の 唄は誰の唄

喜びも悲しみも いつの日か唄えるなら
この島の土の中 秋に泣き冬に耐え
春に咲く 三線の花

この空もあの海も 何も語りはしない
この島に暖かな 風となり雨を呼び
咲いたのは三線の花

 

 

Sanshin no Hana

banda Begin

 

Itsu shika wasure rareta

ojino katami no sanshin
Toko no made tanjo iwai no

shima zake ni motarete
Hokori wo yubide nadete

yurunda ito makeba
Taikutsude tamara nakatta

shimauta ga hibiita
Azayaka ni yomigaeru

anata to sugoshita hibi wa
Yawara kana itoshi sade

kono mune wo tsuki ya buri
Saitanowa sanshin no hana

 

Terebi no nana me mukai no
Anataga ita basho ni
Suwareba aroni no madokara
Yoru tsukiga noboru
Kazoku wo nagame nagara
Nobu sake wa donna aji
Nemuri ni tsuku mae no
Uta wa daremo uta
Yorokobi mo kanashimi mo
Itsu no hika uta erunara
Kono shima no tsuti no naka
Aki ni naki fuyu ni tae

haru ni saku sanshin no hana

 

Kono sora no ano umi mo
Nani mo katani mashi nai
Kono shima ni atatakana
Kaze mo nari ame no yobi
Saita no wa sanshin no hana
Aki ni naki fuyu ni tae

haru ni saku sanshin no hana




Categoria: utinaguti
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 00h12
[] [envie esta mensagem] []



 
 

A Whiter Shade of Pale e Dr House

 

 

Há uma cena memorável num capítulo da série Dr House.

Passou pela enésima vez na TV, hoje.

Wilson dá de presente a House, um órgão (instrumento musical) e ele começa por teclar  A Whiter Shade of Pale da banda inglesa Procol Harum.

Esta canção,  em especial,  traz pra mim, recordações de bailes da adolescência ao som de radiolas,  os primeiros olhares ainda que tímidos e furtivos e os risos e brincadeiras de amigos que nunca mais vi. 

Enfim, um tempo que não volta mais mesmo e talvez por isso, seja tão melancólica. 

Simbolizou lembranças perdidas.

Neste capítulo, House começa a tocar a introdução dessa inconfundível música e em seguida, ao som original, surgem cenas do episódio...

Repare o rosto de House no vídeo que está disponível, só lá no youtube.   Não há um lampejo de ironia ou maldade.  Há somente um ser humano feliz por ganhar um presente verdadeiro!

 

No atalho abaixo, veja o trecho de House (com legenda de Portugal):

http://www.youtube.com/watch?v=g1Xi-j4ATqw&NR=1

 

 

O vídeo disponível aqui é da banda inglesa:

 

 

 

 

 

 



Categoria: novelas e filmes
Escrito por Nozomi Yuntaku a conversadora às 23h40
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]